Honda CR-V 2010 chega a partir de R$ 88,41 mil


As mudanças previstas para a versão 2010 do Honda CR-V vinham sendo anunciadas desde maio deste ano. Ei-la, finalmente, nas concessionárias brasileiras. As duas versões do crossover – LX (4x2) e a EXL (4x4) – ficaram mais invocadas por fora e delicadas por dentro. O carro chega com o objetivo de ser um muito de tudo: esportivo, robusto; versátil como minivan, sofisticado como sedã de luxo.


Para quem olha de fora, isso quer dizer: nas duas versões mudaram o capô, agora com imponência de lorde nipo-inglês, e a as grades inferiores, com detalhes cromados e pintados na cor do veículo. Na versão ELX, são novidades também as maçanetas externas, com friso ao redor da grade cromada.


Ainda no quesito beleza exterior, os para-choques foram reestilizados. A versão 2010 carregou na esportividade, característica que tende a se sobressair na personalidade do carro, especialmente pelas rodas de liga leve de aro 17” de medida de 225/65 R17.


Do lado de dentro, há mudanças para quem dirige e para o carona. O descansa-braço nos bancos dianteiros está maior. Os para-sóis com espelhos da vaidade ganharam iluminação e, na versão EXL, o sistema de som recebeu entrada para conexão USB para MP3 Player e iPod e possui toca-CD para seis discos, subwoofer e tweeter


Na nova versão, o acabamento no interior da porta e no painel vem na cor cinza. Muda o tecido do revestimento do banco da versão LX; o gêmeo top mantém o couro e ganha ar-condicionado automático digital dual-zone, que possui ajustes de temperatura para motorista e passageiro distintamente, algo muito útil para evitar uma guerra dos sexos.


O painel das duas versões do novo Honda CR-V, com computador de bordo, passou a ter iluminação de fundo azul e traz mais informações para o condutor: consumo médio e instantâneo, temperatura externa, hodômetro total e dois parciais, autonomia e indicação de porta aberta (na cor âmbar) e fechada (cor branca).


A versão EXL conta com teto solar elétrico, acabamento do volante e detalhes de portas em couro e controle de som no volante. O modelo possui porta-malas double deck com capacidade para 1.011 l.


Na linha 2010, a versão EXL do crossover vem também com sensor de chuva, acendimento automático do farol baixo, novo farol de neblina e seis airbags (frontal, lateral e cortina). A versão LX traz airbag duplo frontal. Ambas são equipadas com cintos dianteiros com pré-tensionadores.

Nome de carro elétrico da Renault gera polêmica



Encontrar um bom nome para novos carros é um desafio e tanto às fabricantes, especialmente porque o significado pode variar com a cultura e linguagem de cada país. A Renault, entretanto, não precisou sair de casa para ter problemas com o batismo de seu carro conceito, o elétrico Zoé.


O nome feminino é um dos mais populares entre os jovens casais franceses. Revoltados com o que consideram uma ofensa a suas filhas, pais de pequenas Zoés estão organizando abaixo-assinados na internet. “É um absurdo a Renault usar o nome de nossas filhas para um carro, um produto de marketing”, disse Rebecca225, mãe de uma Zoé de um ano, que iniciou as petições online contra a fabricante.


“Nossas filhas têm um belo nome e ele não vai ser destruído por uma multinacional”, falou ao Times Online Sébastien Mortreux, responsável por outro abaixo-assinado na internet.


Em resposta, a Renault disse não considerar a escolha ofensiva. Por meio de sua assessoria, declarou que o nome remete a feminilidade, juventude e vivacidade e que “tem tudo a ver com o conceito de emissão zero”.


Algumas fabricantes dão mais sorte. Semana passada, noticiamos o caso de uma menina inglesa batizada de “Kia” depois de nascer no modelo Carens da empresa coreana.

Fiat passa a exportar o Linea para o Uruguai


A Fiat do Brasil passa a exportar o Linea também para o Uruguai. O sedã é comercializado com o motor de 1,9 litro de 130 cv, mas diferentemente do modelo vendido aqui, consome apenas gasolina, pois o país vizinho não dispõe da tecnologia flex. De acordo com a montadora, os carros são equipados de série com trio elétrico, direção hidráulica, sistema de conexões Blue&Me, pneus de medidas 205/55 R16 e freios com ABS. Como equipamentos opcionais, o cliente pode escolher pelo câmbio automatizado Dualogic, seis airbags, entre outros itens. Além do Uruguai, o Linea brasileiro é exportado também para a Argentina, Colômbia, Costa Rica e Cuba.

Candidatos a motoristas tem um mes para tirar a carteira



Candidatos a motoristas têm menos de um mês para se beneficiar com as antigas regras para tirar a primeira carteira de habilitação. Em alguns estados no Nordeste, há filas para fazer a prova prática. A mudança nas regras começa a valer em 2010.


As filas são grandes todo dia para tirar a primeira habilitação no Departamento de Trânsito (Detran) de Teresina.


Nídia Lima está tentando fazer a prova de percurso e baliza desde setembro. "Está muito lotado. Eu não sei em que horário vou fazer minha prova. Fica difícil porque eu estou com o processo vencendo", diz ela.

montagens




Tudo que você não sabe sobre o sistema de suspensão


É comum deparar-se em fichas técnicas de variados veículos com toda a sorte de suspensões. Independentes ou não, com barras de torção ou estabilizadoras, com molas de todos os tipos e diversos componentes, em classificações que muitas vezes adotam nomes diferentes para as mesmas características. Apesar de tamanha diversidade, trata-se de um conjunto que tem uma função simples e primordial para um carro. E que vai além de preservar o conforto no habitáculo. A suspensão serve principalmente para manter o carro o máximo possível em contato com o solo, seja em asfalto liso ou ao atravessar lombadas, buracos e desníveis. "Ao conceber uma suspensão, busca-se que o automóvel desenhe a pista, sempre buscando um equilíbrio entre conforto e a conexão do carro com o motorista", resume Klaus Mello, gerente de engenharia de produto da Ford.
Ou seja, na busca por este meio-termo, não se pode priorizar nem um nem outro em demasia. Uma suspensão vulgarmente chamada de "mais macia", para melhorar o conforto, pode comprometer a estabilidade do carro, principalmente em curvas. O pneu pode dobrar além da conta e perder aderência. Já nas frenagens bruscas, um conjunto muito macio na frente pode contribuir para o carro embicar e mergulhar em demasia. "É preciso estar atento à transferência de peso entre os eixos dianteiro e traseiro numa frenagem. Além do mergulho, pode ocorrer um super aquecimento do freio dianteiro e sua fadiga precoce, comprometendo a distância de frenagem", alerta Gerson Borini, gerente de engenharia de chassis da General Motors.
As suspensões que privilegiam uma pegada mais "esportiva" são geralmente chamadas de "mais duras". Componentes do conjunto, como molas e buchas, são mais rígidos geralmente. Uma maneira de se obter melhor precisão de respostas do movimento do volante. No entanto, o sistema perde em elasticidade e fica mais vulnerável às irregularidades do piso. Ou seja, a suspensão "bate" mais e filtra menos os buracos e ondulações da pista. "No Civic Si, o curso de suspensão é menor e o conjunto mais rígido para manter a velocidade em curvas, além de ter uma calibragem maior para os pneus maiores, de aro 17", explica Alfredo Guedes, engenheiro do Departamento de Relações Institucionais da Honda Automóveis, comparando a versão Si do Civic, de191 cv, comas demais configurações do sedã, com 140 cv.
Mas o tipo de suspensão também pode privilegiar conforto. Ou pelo menos ter aplicações mais específicas. O chamado conjunto por eixo de torção, por exemplo, é muito usado na parte de trás de utilitários esportivos e pick-ups, médias ou compactas. A principal razão, depois do seu baixo custo, é a robustez do sistema. "As molas possuem um efeito variável, de dois estágios, tanto para o veículo carregado como vazio. Carregar a caçamba, por exemplo, deixa o veículo em uma condição severa, que mudaria muito o comportamento do carro caso não tivesse essa flexibilidade da mola", pondera Klaus Mello, da Ford.
Há suspensões mais sofisticadas, caso daquelas com braços sobrepostos e braços múltiplos, esta mais aplicada de modelos médios para cima. A mais popular, contudo, é a McPherson com rodas independentes na dianteira. Por ser um conjunto compacto e teoricamente simples – trata-se de uma coluna com molas helicoidais em torno dos amortecedores um braço transversal na parte inferior –, é utilizada em larga escala. "É uma suspensão conhecida e validada. E também se aplica em termos de custo", ressalta Waldemar Christofoletti , colaborador do Comitê de Veículos de Passeio da SAE Brasil – Sociedade de Engenheiros da Mobilidade. "É muito comum adotar a McPherson na dianteira devido ao ótimo compromisso entre dirigibilidade e conforto, ao pequeno espaço necessário para sua instalação e também pelo seu custo reduzido", faz coro o engenheiro Carlos Henrique Ferreira, consultor técnico da Fiat.
Instantâneas
- A chamada suspensão do tipo McPherson foi inventada e patenteada por Earle Steele McPherson, em 1946. O primeiro modelo a adotá-la foi o Ford Vedette.
- Os veículos da GM no Brasil tem eixo dianteiro com altura mínima de 15 cm por conta do padrão do meio-fio brasileiro de, no máximo, 15 cm.
- Muito encontrada em diferentes tipos de veículos, a barra estabilizadora tem a função de controlar a torção da carroceria do veículo e geralmente fica presa aos dois lados da suspensão.- -- O eixo de torção também é chamado de suspensão semi-independente ou interdependente, enquanto os braços sobrepostos são conhecidos como double wishbone e a por braços múltiplos recebe a alcunha de multilink.
- A primeira geração do Ford Focus foi um dos primeiros modelos fabricados no Mercosul a adotar suspensão traseira independente.
Custo e modernidade
A busca por materiais mais leves é regra na indústria automobilística e passa também pela suspensão. Até por uma questão de equilibrar o peso do carro. "Tudo contribui para um melhor controle da suspensão. A massa tende a oscilar. Quanto mais leve, melhor o controle dessa oscilação", explica Klaus Mello, da Ford. O problema é o custo. O alumínio já é encontrado em bandas de eixos, mas braços e eixos com o material são quase exclusivos de nichos de luxo.
"O alumínio no Brasil já foi proibitivo. Hoje tem um preço melhor, mas acredito que isso ainda ficará concentrado ainda nos modelos tops por um tempo", reconhece Gerson Borini, da GM.
Outras sofisticações ainda são exclusivas de modelos mais requintados. Os amortecedores pneumáticos, por exemplo, permitem uma adaptação, automática ou à escolha do condutor, de um conjunto mais elevado e macio ou mais rebaixado e rígido, como no Citroën C5. Isso sem falar na eletrônica já encontrada em modelos de luxo. Ou seja, os amortecedores, hidráulicos ou pneumáticos, são comandados eletronicamente. "Já estão embarcando eletrônica nos controles de frenagem de forma a estabilizar os carros em curvas. Para carros de luxo, essa parte eletrônica vai atuar no controle da suspensão. Essa parte eletrônica vai administrar o movimento da suspensão e oferecer uma precisão muito maior dos movimentos", acredita Alfredo Guedes, da Honda.
Os tipos mais comuns de suspensão
- McPherson – Utiliza um sistema simples e eficiente. Ela funciona de maneira independente e sua disposição típica usa molas helicoidais, que parecem estar "enroladas" no amortecedor, fixadas por um mancal na parte de cima e em uma barra transversal na parte de baixo. Este tipo suspensão ocupa menos espaço e contribui para reduzir o peso do veículo.
- Eixo de Torção – Simula um sistema independente. Sua engenharia utiliza estrutura em forma de "H". As partes da frente das barras paralelas se fixam ao carro e as partes de trás fixam as rodas. Sobre estes braços estão montados os amortecedores e as molas helicoidais. O traço horizontal da letra "H" é o próprio eixo, que é elástico como uma barra de torção. Quando o carro sofre um impacto, o eixo se torce e parte do impacto é absorvido, proporcionando alguma independência entre as rodas. Esse sistema é mais barato e é aplicado na parte traseira de veículos com tração dianteira.
- Braços sobrepostos – É independente e consiste em dois braços de comprimentos desiguais montados em planos sobrepostos. A mola helicoidal e o amortecedor são instalados em cima do braço inferior, passando sobre o braço superior. Sua grande virtude é a possibilidade de controle da posição da roda por todo o curso da suspensão, prometendo maior estabilidade.
- Braços múltiplos ou Multilink – Caracteriza-se por possuir vários braços, que ligam o eixo ao chassi. Esse sistema só utiliza molas helicoidais ou pneumáticas e pode receber ajustes facilmente, sendo bastante comum em competições automobilísticas.

Acessórios para entreter também seus caronas

Todo mundo pergunta como fazemos tantas maluquices nos carros do Lata Velha. Maluquice sim, mas posso afirmar, com toda a certeza, que essas doideiras são muito bem pensadas e analisadas nos mínimos detalhes para que tudo saia certo e não prejudique, principalmente, a segurança dos usuários dos carros.

É neste clima que transformamos velharias em supermáquinas capazes de deixar até quem não entende de carro babando nas tecnologias que aplicamos.

Uma das mudanças que mais chama a atenção são as alterações estruturais, como o rebaixamento de teto ou a extensão de comprimento da caranga, mas nada é mais inusitado do que acoplar alguns acessórios que não tem nem um pouco a ver com um carro original, como no caso dos videogames que tanto fazem sucesso com as famílias dos contemplados pelo quadro global.

Para isso nada melhor do que o Charlinho, nosso designer de interiores, para explicar um de nossos segredos: os jogos eletrônicos!

Para que a diversão com seus jogos faça parte do dia a dia dos seus caronas, você precisa primeiro de um transformador de 12v para 110/220v. Este transformador serve para que o carro tenha voltagem suficiente para ligar o seu novo brinquedinho, já que todos os carros comercializados no País têm 12 ou 24 de voltagem.

Você deve se perguntar: como esses malucos conseguem uma tomada pra ligar o videogame, não é? Não chega a ser uma tomada, mas esse transformador é ligado diretamente na bateria do carro, portanto, como no caso dos rádios, você nunca poderá usar o videogame com o carro desligado, senão, meu amigo, pode dizer adeus à sua bateria.

Outro detalhe importante é em relação dos seus joguinhos preferidos. Imagine seus amigos lá na sua caranga todos empolgados para uma disputa de Street Fighter e os coitados dos bonecos lutando sem um sonzinho para aumentar a adrenalina? Não dá!

Para evitar este mico, o cabo de RCA, que vem no videogame, deve ser ligado na saída auxiliar do aparelho de som e aí, Tranquilamente, vocês ouvirão cada golpe e cada passagem de qualquer jogo. O mais importante, porém: lembre-se de que você está dirigindo. Por isso, oriente seus companheiros para não se empolgarem muito. Uma distração pode virar acidente.

Procure profissionais especializados em instalação de som automotivo e ele poderá colocar este brinquedo de enlouquecer a galera.

Desafio das Estrelas: Tudo pronto para a etapa 2009


Após uma temporada especial na Fórmula 1, Rubens Barrichello aproveita o fim do ano para as disputas de kart. Como vem fazendo há cinco anos, desde a primeira edição em 2005, Rubens correrá o Desafio Internacional das Estrelas, prova de kart organizada por seu amigo Felipe Massa. O piloto chega nesta sexta-feira (27) em Florianópolis, local da corrida, quando participa dos sorteio dos karts, motores e mecânicos, além da primeira sessão de treinos livres. As duas baterias serão neste fim de semana (28 e 29), na nova pista em Canasvieiras.


"Ano passado, eu estava sem emprego e recebi um carinho enorme do público desde o primeiro treino até quando ganhei o título. Nesse ano, a minha situação na Fórmula 1 é bem diferente, mas quero muito ter esse contato com o brasileiro novamente. Isso é um combustível a mais", analisou o piloto da Williams F1 na temporada 2010. "A pista é totalmente nova e ficou muito bacana. Então, estou muito otimista para termos um bom final de semana", destacou o brasileiro.


O clima é de muita descontração e de encontro entre amigos, mas todos querem vencer e, para isso, os treinos de kart são importantes tanto para o Desafio das Estrelas, como para as 500 milhas da Granja Viana, que acontece no próximo dia 5, e que Barrichello é octacampeão, junto com Tony Kanaan e equipe. Serão disputadas duas baterias para decidir o vencedor do Desafio das Estrelas, e ambas serão televisionadas ao vivo. A primeira, marcada para às 16h de sábado, terá transmissão do Sportv, e a segunda, na manhã de domingo, às 11h, passará dentro do Esporte Espetacular da TV Globo. Toda a renda dos ingressos será revertida para projetos sociais em Santa Catarina.


A Volkswagen na f1 em 2012


A Volkswagen está avaliando a possibilidade de ingressar na Formula 1 a partir de 2012. A montadora alemã, mesmo com as desistências de Honda, BMW e Toyota, acredita que o esporte está se tornando mais atrativo, com novas regras sendo adotadas em relação à potência dos motores e aos custos.


"Se somos a maior montadora do mundo, é natural que possamos pensar nisso, mas não antes de 2012. Procuramos por coisas inovadoras, e a F1 é o topo do automobilismo. Dois anos atrás ocorreram conversas sobre comprar a equipe Red Bull, mas por que deveríamos focar em uma se pudermos dar os nossos motores para mais escuderias?", questionou Hans-Joachim Stuck, representante da Volkswagen.


"Se comprássemos a Red Bull e o Adrian Newey (projetista) quisesse se retirar, não seríamos mais bem-sucedidos. Mesmo a BMW, que comprou um túnel-de-vento multimilionário e um supercomputador e depois fechou as portas. Por tudo isso, construir um motor e fornecê-lo a equipes é a melhor saída", prosseguiu o alemão, que salienta que a F1 se torna mais atrativa com grids maiores e regras que baixam os custos.


"A F1 está na direção certa. Muitas montadoras caíram fora, o que é um bom negócio, pois nunca se sabe do comprometimento delas. Elas deveriam apenas fornecer motores, como era a categoria no meu tempo", concluiu o ex-piloto Stuck.

encontro de eclipse



foto do dia


Ajude o Baxim à ajudar! Cont.




Galera, quero agradecer a todos que já ajudara e pedir mais uma vez uma forcinha para os que ainda não puderam ajudar.

Agradecimento especial para meu amigo gabriel que doou 10 carrinhos hotweels, minha mãe, meu amigo Leo Yamaguchie meu padrinho que doaram uma quantia em dinheiro com a qual pude comprar vários brinquedos.

Agradeço também à galera dos Blogs 1001 BarZinhos, Mundo Fusca, Planeta Fusca e Planeta-Cars que ajudaram com uma importante divulgação.

Mas ainda não é o suficiente, portanto espero contar com a ajuda de meus amigos!
Quem ainda não conhece a campanha, acesse:
http://blogdobaxim.blogspot.com/2009/11/ajude-o-baxim-ajudar.html

divulgação do blog do baxim

16º Classic Cars Fortaleza

nosso banner

meus blogs

parceiro

Palyhalskits Download
 

Copyright © 2009 Planeta Cars. Todos os direitos reservados.